na rede

VÍDEO: Polícia Civil investiga ataques a empresários na internet

Denúncias foram feitas por dirigentes de entidades empresariais de Santa Maria, em junho

Fabricio Minussi

Foto: Fabricio Minussi (Bei)
No apartamento do investigado a polícia apreendeu dispositivos eletrônicos que serão submetidos à perícia 

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido na manhã desta sexta-feira por agentes da 3ª Delegacia de Polícia (3ª DP), dentro de um inquérito que investiga denúncias de crimes contra a honra e imagem. As vítimas são empresários e instituições empresariais de Santa Maria.


O mandado foi cumprido em um apartamento na Rua Olavo Bilac no centro de Santa Maria. O investigado é um jovem de 26 anos. No local, foram recolhidos quatro notebooks, dois HDs, um tablet, um celular e três carregadores.

Estado retoma visitas presenciais no sistema prisional nesta sexta-feira

De acordo com o delegado André Diefenbach, a investigação teve início na primeira quinzena de junho. O jovem, segundo Diefenbach, teria criado perfis nas redes sociais com o objetivo de difamar e ofender empresários e instituições, citando, inclusive, nas postagens, nomes de empreendedores e dirigentes de instituições empresariais, utilizando palavrões e outras expressões que atentariam contra a honra:

- Tudo começou com os registros de ocorrência feitos por lojistas e empresários. Averiguamos que um ativista com ideologias contrárias aos empresários criou perfis em redes como Facebook e Instagram, e passou a fazer postagens, plantar notícias, fazer montagens e praticar crimes contra a honra. Fomos até a residência do investigado a apreendemos dispositivos eletrônicos e outros equipamentos, que serão submetidos à perícia com o objetivo de confirmar a origem dos ataques virtuais.

Suspeito de assassinato na Região Norte é preso

Segundo a polícia, a primeira ocorrência relatando os supostos ataques virtuais foi registrada no dia 17 de junho, pelo presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Santa Maria (Cacism), Luiz Fernando Pacheco. O segundo registro na polícia foi no dia 22 de junho. O autor foi o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Santa Maria (Sindilojas), Ademir José da Costa.

Foto: Fabricio Minussi (Bei)
Material apreendido será submetido à perícia para tentar confirmar a origem dos supostos ataques virtuais

Nos dois registros, os dirigentes denunciam que empresários e entidades empresariais da cidade vinham sofrendo difamações e ofensas na internet.

VÍDEO: polícia prende investigado de latrocínio de idosa em Santa Maria

O jovem é investigado e será chamado a prestar depoimento. Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão a polícia também apreendeu duas armas de fogo munições de diferentes calibre. As armas e as munições, que não possuem qualquer relação com o inquérito em andamento, também serão periciadas.

A reportagem do Bei conversou com o presidente do Sindilojas, Ademir José da Costa. Ele fez questão de elogiar o trabalho da Polícia Civil:

- A gente fica feliz que a investigação está andando. Mesmo se tratando de um suspeito, isso precisa ser esclarecido. Não estou preocupado com a minha imagem, mas na forma como o conteúdo foi divulgado, expondo os nomes e ofendendo colegas lojistas. Isso tem repercussão. A gente luta pela liberdade de empreender e essa postura deforma o nosso modelo de pensamento.

A reportagem também conversou com o presidente da Cacism. Pacheco acredita que o trabalho realizado pela Polícia Civil, na manhã desta sexta-feira, restabelece o princípio da Justiça:

- Acusações injustas, infundadas e, principalmente, anônimas, não devem fazer parte da rotina e da vida das pessoas honestas. Foi um ótimo trabalho da polícia.


Internet

wpp.png